Metalúrgicos vão denunciar assédio moral na Bosch na Câmara Municipal de Campo Largo (PR) hoje à tarde

Presidente do SMC, Sérgio Butka,  vai ocupar a tribuna livre às 17h para relatar descaso  e perseguição da Bosch à liberdade de organização sindical. Protesto de trabalhador demitido ilegalmente completa 32 dias

No último sábado (11), trabalhador completou um mês acampado em frente à fábrica

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, Sérgio Butka, vai ocupar, às 17h, de hoje (13), a tribuna livre da Câmara Municipal de Campo Largo, município da Região Metropolitana de Curitiba (RMC),  para denunciar as práticas de assédio moral e antissindicais que a fábrica da Bosch tem imposto aos trabalhadores. Serão distribuídos aos vereadores o dossiê “Bosch Curitiba – uma história de Assédio Moral e Desrespeito de Assédio Moral”, que mostra o histórico de práticas contra os direitos humanos da multinacional alemã em Curitiba. O requerimento para que os trabalhadores tenham o uso da palavra foi feito pela vereadora Fernanda do Nelsão (SDD).

“Queremos mostrar para a sociedade o que tem acontecido na Bosch de Curitiba, o que os trabalhadores tem sofrido por parte da empresa, que prefere o confronto ao diálogo, que prefere optar pela intimidação ao invés da construção de uma relação moderna entre o capital e o trabalho”, ressaltou Butka.

O SMC vai percorrer todas as cidades de Curitiba e Região Metropolitana para denunciar e mostrar como a Bosch tem agido quando se trata do relacionamento com os trabalhadores.

Protesto de trabalhador completa hoje 32 dias
O  protesto do trabalhador Cristiano Pereira, que está acampado em frente à fábrica, completa hoje 32 dias. O trabalhador, que é diretor sindical, foi demitido após reivindicar melhores condições de trabalho.  Segundo denúncias, os trabalhadores estão com sobrecarga de trabalho tendo que operar sozinhos de três a quatro máquinas. Além disso, outros dirigentes sindicais e até cipeiros estariam recebendo advertências e ameaças de demissão.

Trabalhadores americanos organizam abaixo-assinado
O protesto  tem  ganhado contornos internacionais. Além das denúncias feitas pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande  Curitiba às organizações trabalhistas  do exterior, trabalhadores americanos das fábricas da Bosch, localizadas no estado de Michigan, nos EUA, estão recolhendo assinaturas para pedir a reintegração de Cristiano e o fim do assédio moral na fábrica de Curitiba.  O abaixo-assinado é organizado pela United Automobile Workers (UAW).

Várias organizações e Sindicatos demonstram apoio
A cada dia que passa, a luta do trabalhador ganha apoios de Sindicatos e organizações  de direitos humanos e trabalhistas tanto nacionais e internacionais.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado
Para preservar seu nome utilize um nome fictício
Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>